圣保罗生活Protegidos pela noite:conheçaogigante mercado informal da Feirinha da Madrugada

作者:厍炸

<p>一个cada dois meses,o vendedor ambulante Aziz Abdel Rahman embarca emumônibusemBrasíliaparaviajar a noite toda por1140quilômetrosÀsduasdamanhã,ele chega ao seu destino:a escuraegotadíssimaFeirinhada Madrugada,maior feira informaldaAméricadodo Sul,没有CentrodeSãoPauloAziz viaja em busca das roupas mais baratasdopaís,na Feirinha,madrugadaéoramelhorhoráriopraascomprasÉquandoele faz suas buscas entre centenas de pilhas e araras de roupas espalhadas pelas ruasdoBrás ,em busca de pechinchas comoascalçasesportivasa R $ 10,que ele depois vende nas ruasdeBrasíliaurR $55Édiícilmediro tamanho desse enorme mercadoagéauterto,que cresce a cada dia Sefosseposvívelandarápido,levaríamos ao menos 2 horas para cobrir todooperímetroMas,nohoráriodepico,das4àsdamanhã,édifícilsemover em meio aos milhares de compradores,que arrastam sacolas pesadas em seus carrinhos de feira Os vendedores anunciam a os gritos as ofertas da noite:vestidos por R $ 10;价格为5加元; “almoço”por R $ 3 O cheiro de fritura e churrasco se espalha pelo ambienteVendernãoéruimMelhor do queficaralacásdeumamáquinadecosturaOcomércionasruaséquaseque exclusivamente informal,jáquesúpoucosos vendedoresquetêmpermissão para vender ali Mesmo assim,daumaàssetedamanhã,duplas de agentesdaPolíciaMilitarpatrulham a feira,apenas observando Depois das 7,porém,o comportamentomudaPolíciapassaa circular em grupos de 10 ou mais,avisando aos vendedores que éhorade sair Apenas nesse momento,começamaconfiscar os produtos,muitas vezes usandodefiolênciaComoos feirantes sabem o que vai acontecer,a maioria levanta acampamento antes queapolíciachegueQuando os oficiais se aproximam,eles embrulham a mercadoria em uma lona se se a a an an an an an an an an se se se se se se se se se se se se se se se se se e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e e noites,há13anos,éumdosmuitosmistériosdaFeirinhaAziztambémnótempermissãoparavender nas ruasdeBrasíliaComoseu falecido pai,nascido na Palestina,ele faz parte de umalongatradiçãodeimigrantesárabesquefizeram a vidanocomérciopelo país“Estehomemestáseguindoos passos do pai,que ganhou um bom dinheiro como comerciante”,diz Francisco de Assis Silva,o motoristadoônibusquejátransportoucentenas de feirantes de todoopaísparaa Feirinha desde 2004,quandoelacomeçoua operar NAS ruas做胸罩马斯Ø商报JáNAOéexclusividade达COMUNIDADE ARABE O的rostos阙HOJE dominam一个德费拉圣保罗德诺,chineses,coreanos,haitianosēafricanos ELES vendem principalmente produtos feitos EM pequenas oficinas:milhares德camisetas,blusas,短裤, calçasevestidos coloridos Alguns trazemossímbolosdaAdidas,Nike,Calvin Klein e outras marcas,mas a maiorianãotemmarca ou etiqueta A estampa da Minni,da Disney,éu ma das das mais faz sucesso“Todo mundo quer,mas as pessoas pechincham tanto que acabamosganhandosóumrealporpeça”,conta Leidi Laura que,aos 18 anos,éaprimeira pessoadafamíliaanascer no Brasil Com os olhos bem delineados e reflexos loiros nos cabelos,Leidi vende roupas ao lado da tia,que continua usando astradicionaistrançasbolivianasComo ela,a maioria dos bolivianos trabalha em oficinas improvisadas em casa,produzindo roupas com o menorcustopossívelÀsmargensdas leis trabalhistas,colocam a固有SAUDE EM瑞斯AO costurar德直径é的厂商的晚报Embora作为oficinas sejam geridas pelasfamíliasDOSfuncionários,林雷é克拉拉:turnos prolongados EMcondiçõesdegradantes PODEM SER caracterizados科莫trabalho escravo的Contemporâneo的COM algumafrequência,开具发票做trabalho fecham oficinas PELO的Bairro Elasfornecemnãosóparaa Feirinha,mastambémparaempresas conhecidas Diversas marcas conhecidas,entre elas a espanhola Zara,jáf oram responsabilizadaspeloMinistériodoTrabalho pelo uso de trabalho escravo na sua rede de fornecedores Contudo,para boa parte da comunidade boliviana,feiranãoexsentaaescravidão,mas sim uma portadesaídadapobreza“Osbolivianosestãoabrindoseusprópriosnegócios”, expéRenéCesarBarrientos,Instituto de CulturaeJustiçadaAméricaLatinae do Caribe,organizaçãopopprestaauxilioàcomunidadeboliviana no Brasil“Elessãorempreendedores,essaéamaneiracomosestãoconseguindose libertar” Depois de testemunhar as dificuldades detantosconterrâneosnopaís,Barrientos se orgulha de ver muitos dando a volta por cima na Feirinha“Éumaconquista muito importante,e es conseguiram tudo sem nenhuma ajuda do governo”A maioria dos feirantes latino-americanos tem o mesmo orgulho de terem se erguido sozinhos Mas ootimismoéofuscadopelaconsciênciadosmuitos perigos daFeirinhaHáumano,reportagem testemunhou um policial puxar uma boliviana pelos cabelos para que elanãofFugisse com sua mala cheia de roupas Emoutraocasião,um policial chutou roupas para a sarjeta molhada,comocinpéçãocndedoresquenãotinhamrecolhido seus produtos depois das 7damanhãAindamaispreocupanteéoque muitos feirantes contam sobre a“taxa”que pagam para ocuparoespaçopúblicoSãopelomenos R $ 25 por semana,destinados cobrir“aluguel”,luzeproteçãoconntroubos Sem se identificar,porém,alguns admitem que precisavam mesmo eradeproteção反对作为pessoas que cobram essa taxa Em voz baixa,eles falam dos membros das chamadas“associações”ou simplesmente da“máfia”averdadeéquea feirinhatemváriascamadasde atividades ilegais Durante a janela de seis horas em que a prefeitura faz vista vista grossa,os feirantesficamoveneráveisasesses grupos que exploramovácuodoestado Dois deles contam que colegas“desapareceram”depois de se recusar a fazerpagamentosàmáfiaUmhomem contou que viu um amigo ser apunhalado na barrigapornãapargaras taxas No dia seguinte一个UMA DAS nossas visitas,的DOI vendedores ligaram对dizer阙OS membros达黑手党当地estavam orientando OS feirantes一个NAO conversarem MAIS COM口jornalistas“Desculpe,Amiga的,奎罗ajudar SUA reportagem,MAS明哈VIDAéMAIS重要提示”,狄氏UMA德拉斯,ao cancelar uma entrevista marcada OBrasiléoquinto maior produtor devestuáriodomundo Mas,aocontráriodeeconomiasvoltadasàproductãopraexportação,com oa ChinaeaÍndia,o mercadobrasileiroédominantementedoméstico“Éporisso que a Feirinha cresceu:éumahorseativa para os produtores,quedãumjeito de vender mais diretamente”,dizosociólogoCarlosFreire A vida era duranaÁfrica,mas aquiédifíciltambémElestdestacaatransformaçãoglobaldaindústriadevestuárionadécadade90,quandonovastendênciasdamoda passaram aserlançadasemcurtos intervalos Foinessaépocaqueas empresas terceirizaram suas costureiras,criando uma vasta rede de pequenas oficinas,que por美国VEZ有孔虫gradualmente仙道ocupadas POR imigrantes Enquanto servem饮食作为filhas加布里埃拉ë利拉,解图1e 7 ANOS德idade,嗯卡萨尔秘鲁信息CONTA阙ESSA VIDA第ELESétemporária:○平éeconomizar dinheiro第voltar AO秘鲁马斯淖éFACIL Economizar quando eles podem perder um lote inteiro de trabalho a qualquer momento Eles tentam driblarapolícia,enãoérarover grupos de feirantes fugindo do s oficiais com as mercadorias,para depois voltarem segundos depois que a patrulha vai embora“Eujáestoutotalmente acostumada”,dizSanaéCanarar,uma libanesa de 24 anos,ajeitando as camisetas sobre uma lonalogoapósumapatrulha passar Alfa Dihllo veiodaGuiné ,TEM 25 ANOSËparece menos confiante“A VIDA时代硬脑膜呐非洲,MAS褐édifíciltambém”,admite的COM olheiras profundas,ELE CONTA阙一polícialevou 20日修斯瓜尔达 - chuvas厦poucos迪亚斯“NAO tenho dinheiro,precisei德嗯empréstimo对comprar MAIS” Apesar做瑞斯,UMA barraca呐至CalçadaaindaéMAIS procurada做阙UMA洛哈没有梅尔卡多公报coberto,阙菲卡没有的Pátio做帕里ØgalpãoCOM 4000潘托斯德文达FOIconstruídoEM 2006年的DOI ANOS depois做aparecimento DA Feirinha,como的UMA tentativa德formalizarö商报“Tivemos嗯框中没有galpãoPOR辛科ANOS,MAS集会VOU arriscar耐思特脑桥褐NA鲁阿”,declaraö诺森特布鲁姆,DE 41个ANOS,14个DELES没有胸罩sil,enquanto ajeita sua barraca ondevendesaídasdepraia“Tem mais muito mais movimento na rua eoaluguelémaisbarato”a vida dos vendedores dentrodogalpãonambémnãoéfácilOlocalégeridopor umaassociaçãogenganhoulicitaçãoepode cobrar R $ 910 POR MES DOS vendedores硒OS 4000个箱estivessem alugados - Ø阙NAOéØ卡索 - 一个人大餐桌做GRUPO chegaria一个R $ 3,6milhõesMesmo assim,圣保罗acusados德extorquir OS vendedores,exigindoaluguéisMAIS女低音Ø卡索ESTA仙道investigado peloMinistérioPúblicoFederalepelaCâmaradosVereadores Háquemdefenda ofechamentosumáriodetoda a Feirinha da Madrugada - galpãoourua O principalargumentoéque,nas oficinas onde se costura os produtos vendidosaliestãalgunsdos piores casos de trabalho escravo do setor,afirma o fiscal dotrabalhoLuísAlexandrede Faria一个主要的estratégia确实打击ao犯罪没有Brasiléadponsabilizar作为empresas pelos casos flagrados nas oficinas Mas,no caso da Feirinha,nãéfácilencontraros culpados“Édifícil[responsabilizar infratores]quandonãoháumempregador”,diz FariaElenão se deixa levar pelo argumento de que a Feirinha pode ser um caminho para uma vida melhor“Algumacoisaestámuitoerrada em nossa sociedade se trabalhar 15 horas por diaemcondiçõesprecáriasforcontemprado comoumasolução”,afirma Mas,graçasàcrescentecriseeconômica ,écadavezmaisincrevávelquea FeirinhaacabeNãoapenasimigrantes,mas cada vez maisbrasileirosestãtentando a sorte nas ruas:Maria Aparecida Ferreira,de 46 anos,játeveuma oficina com 12 costureiras que faziam roupas de luxo para a Daslu Depois queaproprietáriafoicondenada por fraudeesonegaçãofiscal,Maria Aparecida foi obrigada a ir para acalçadafowdercamisetas da Minnie Brasileiros ou imigrantes ,tudo indica que a feira vai seguir crescendo pelas ruas do centro Ao ladodaestaçãodoBrás,uma dascentraisferroviáriasmaisantigas do Brasil,um grupo muito unido de haitianos revende as roupas dos bolivianoscomínfimasmargensdelucroHápoucosdias,a Feirinhaaindanaãochegavaatéalia equipe do GuardianCitiesestáemSãoPaulopara uma semana de reportagens aprofundadas e eventos aovivoNãofommoscomorecebercomentáriosmoportuguêsnosite,masvocêpodemandar suas ideiaseexperiênciaspeloTwitter ou Instagram com a hashtag #GuardianSaoPaulo,ou escrever para saopauloweek @theguardiancom Siga o Guardian Cities no Twitter,Facebook e Instagram para participar da discus são,....